top of page
  • Foto do escritorPará Comunica

Alopecia de Jada Smith traz luz a uma doença que mexe com a autoestima

Extensões capilares ajudam a recuperar a confiança das mulheres, explica especialista

Crédito da foto: Divulgação/Instagram.

A cerimônia do Oscar de ontem ficou marcada pelo tapa que Will Smith deu em Chris Rock após o comediante fazer piada sobre a cabeça raspada da esposa do ganhador da estatueta de melhor ator, pelo filme King Richard. A confusão, além de muitas manchetes, trouxe luz à doença inflamatória que a atriz Jada Smith tem e que pode causar a queda total ou parcial dos cabelos: alopecia.


A alopecia é dividida em diversos transtornos e causas, como a alopecia androgenética, também chamada de calvície; a alopecia areata, responsável pela queda repentina nos fios que inicia com uma ou mais áreas circulares que podem ir aumentando sua extensão, alopecia total, que causa a queda capilar completa; a alopecia universal, responsável pela queda de todos os pelos e cabelos do corpo ou ainda o eflúvio telógeno, que é caracterizado pela queda de cabelo após uma experiência estressante (a maioria dos casos durante a pandemia) e o eflúvio anágeno, que é a perda capilar anormal durante a primeira fase do crescimento capilar.


Junto com esse transtorno é natural também a vulnerabilidade da autoestima, uma vez que o cabelo é a moldura do nosso rosto, reflete e tem uma forte ligação com gostar ou não do que vemos no espelho, especialmente entre as mulheres. A SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) apontou em pesquisas que cerca de 5% de toda a população feminina brasileira é acometida pela alopecia.


Alina Carmezim, especialista em mega hair, conta que as extensões são a melhor alternativa para quem está passando por esse momento e pode ser utilizada mesmo durante o tratamento. “O mega hair oferece a oportunidade de disfarçar as partes que estão sem cabelo, sem prejudicar ou tracionar os fios naturais. Uma das técnicas mais recomendadas para essa aplicação é a Impercept, uma vez que não danifica os fios e garante um resultado natural sem deixar visível onde estão as extensões”, explica a profissional.


Além disso, a especialista, que já treinou milhares de pessoas ao redor do mundo, explica que o mega hair pode ser aplicado em todos os tipos de cabelo, seja ele cacheado, liso ou ondulado, assim como em todos os tipos de comprimento. “Já foi a época em que só era possível aplicar mega hair liso, pois hoje as extensões atuais contam com diversas texturas e cores para deixar o visual mais próximo possível do natural”, conta.


Alina explica que é muito comum receber clientes que sofrem com a queda de cabelo, mas que ver o sorriso no rosto de cada uma após a aplicação, não tem preço. “Ver em cada aplicação a autoestima sendo recuperada é extremamente gratificante”, finaliza.


Sobre Alina Carmezim


Especialista em mega hair, professora e mentora. Largou a carreira jurídica para se dedicar a aumentar a autoestima das mulheres. A empresária é criadora do método Impercept, técnica de mega hair já usada no muito inteiro e comanda o curso Excelência em Mega Hair.

Mais informações: www.alinacarmezim.com

Instagram: @alinacarmezimacademy


Por Assessoria de Imprensa.

Comments


bottom of page