top of page
  • Foto do escritorPará Comunica

Chegada dos dias mais frios dão ideais para estimular a criatividade de quem trabalha com açaí

Açaiterias, sorveterias e restaurantes podem apostar na comercialização de outros pratos, que fogem do tradicional açaí na tigela


Crédito da foto: Assessoria de imprensa

O açaí está muito mais relacionado ao calor do que às temperaturas mais amenas, e apesar do Brasil estar entrando na temporada outono/inverno, o friozinho não é motivo para quem trabalha com o produto deixar de comercializá-lo. Primeiro, porque quem é fã do fruto sabe dos seus benefícios, como a prevenção do envelhecimento precoce, fortalecimento do sistema imunológico, melhora no funcionamento do intestino, fornecimento de energia para o corpo e para o cérebro e proteção contra vários tipos de câncer.



Em segundo lugar, o produto não se resume ao “açaí na tigela”, com granola e leite condensado, similar ao sorvete, e que, nos dias mais frios, naturalmente, a pessoa pode ficar temerosa de consumi-lo.



Áureo Bordignon, um dos sócios da Kiloton Amazônia, explica que a aposta para o período de baixas temperaturas está na pura polpa do açaí: “A partir dela é possível explorar todas as opções que o fruto oferece, saindo do tradicional doce gelado e apostando em pratos estacionais e exóticos”. Tudo porque, segundo ele, as polpas industrializadas normalmente contêm muito açúcar, xarope de guaraná, emulsificantes e vários outros aditivos, o que dificulta sua comercialização nas versões salgadas e até mesmo doces.



O fondue de açaí é uma amostra, porque além de aquecer, trata-se de uma opção diferente e saborosa. Ademais, há o chocoaçaí, feito com leite de coco ou de amêndoa, que pode substituir o convencional chocolate quente; cheesecake de açaí, uma torta feita à base de biscoito e o fruto nativo da região Norte do Brasil, montada em camadas; e até bombons. Mas, engana-se quem pensa que o açaí só serve para preparar pratos doces. Longe disso, na versão salgada, com ele é possível fazer panqueca; molhos para acompanhamento de carnes, legumes e, principalmente, peixes; além de saladas. E tem até receitas de pão de açaí, que, com a cor bem roxinha, atrai todos os públicos e representa uma predileção saudável para quem quer diminuir ou eliminar os farináceos da dieta.



A importância do açaí pura polpa



“Mas, para contar com esse leque de opção, é fundamental saber se a polpa do açaí é pura”, reforça Áureo. Existe uma diferença grande entre o açaí saudável e o açaí que necessitará de aditivos para a comercialização, e essa observação ocorre antes da colheita do fruto, e segue até o processamento. A área de plantio da palmácea é de suma importância, tendo que ser observada não somente as condições elevadas de temperatura, mas de igual forma a umidade relativa do ar e a precipitação pluviométrica.



Se o açaí for obtido exclusivamente do fruto, como no caso da Kiloton Amazônia, que o adquire diretamente das populações indígenas e ribeirinhas em várias cidades do Amazonas, Acre e até da Bolívia, sua principal característica é uma cor violácea bem escura, semelhante ao roxo, equivalente a um bom vinho tinto. “Tanto é que na nossa empresa chamamos o fruto de ‘ouro roxo’”, brinca Áureo. “Agora, se misturado, o fruto apresenta tonalidades que podem ir de um roxo mais claro até o cinza, podendo se tornar prejudicial para a saúde humana”.



Por esse motivo, a Kiloton Amazônia só adquire açaí nativo, gerando economia local e não enfatizando o desmatamento ilegal.



Em processos de replantio, se a área não for apropriada, os frutos não têm a cor violácea, que é o que garante a quantidade de antocianina, um potente corante natural que ajuda a manter a imunidade fortalecida, dificultando que o corpo venha apresentar processos inflamatórios. Para se ter uma ideia, o açaí nativo possui 33 vezes mais desta substância que a uva: “Logo, é a cor e a origem do seu nascimento que vão determinar se o produto está ou não saudável para o consumo. É importante que os clientes se atentem a isso, porque até mesmo o açaí orgânico nem sempre é proveniente de árvores nativas”, comenta Áureo, chamando atenção, ainda, para a forma de conservação do fruto, essencial também para manter a sua qualidade: “Trata-se de um produto que deve ser mantido em uma temperatura de -18º”.



A Kiloton já está disponível no Mercado Municipal de Curitiba. No mês passado foi feita uma “degustação” no local, ocasião em que mais de 150 pessoas, todas conhecedoras do açaí paraense, das 9 às 13 horas, experimentaram e aprovaram o ouro roxo pura polpa. “Como feedback, o que mais ouvimos é que se trata de um produto bem melhor, justamente porque é um açaí puro”, comentou Josenia Bordignon, uma das sócias da empresa.



A Kiloton Amazônia surgiu no mercado após identificar que o açaí é muito comercializado na versão açucarada ou, mesmo quando zero sacarose, possui muitos aditivos químicos, o que impede pessoas com comorbidade de consumi-lo, bem como os esportistas e quem quer se manter em forma. Saiba mais no site da Açaí Kiloton: http://qrz-test.infinityfreeapp.com/




Receitas


Existem diversas receitas na internet e em redes sociais, como YouTube, Facebook e Instagram, ensinando, passo a passo, o preparo de pratos doces e salgados envolvendo o açaí, entre elas destaque para o tradicional "açaí na tigela", brigadeiro de açaí, molho para peixes, milkshake, pudim, suco, tapioca e bombom.




Por assessoria de imprensa

Comments


bottom of page