top of page
  • Foto do escritorPará Comunica

Como desmascarar empresas que fingem ser sustentáveis

Especialistas montam guia para consumidores detectarem a prática de greenwashing em empresas



Marcelo Pereira, diretor da BrevenLaw, startup de compliance jurídico, explica a importância da transparência. “Empresas genuinamente comprometidas com a sustentabilidade publicam relatórios detalhados, frequentemente verificados por entidades independentes. Um bom indicativo para o consumidor é procurar por certificações de órgãos confiáveis, como Fair Trade, B Corp, ou FSC, que podem indicar práticas sustentáveis legítimas”, detalha.

Discurso X Prática


Segundo a especialista em Compliance, a análise da coerência entre o que uma empresa diz e o que ela faz é fundamental. “Investigue se há práticas controversas, como o uso de combustíveis fósseis, excesso de embalagens ou exploração da mão de obra, que contradigam as alegações de sustentabilidade. Outra dica é verificar se a empresa incentiva a participação ativa de colaboradores e consumidores em suas iniciativas de sustentabilidade. O envolvimento em políticas públicas e ações de advocacy também são indicativos de um compromisso genuíno”, detalha.


Para uma análise aprofundada, Chiaverini de Melo sugere recorrer a sites de ONGs ambientalistas e relatórios de especialistas, já que os rankings de sustentabilidade podem oferecer uma visão objetiva do desempenho ambiental das empresas.

O greenwashing é uma prática que pode confundir os consumidores e prejudicar empresas que realmente adotam políticas sustentáveis. Ao ficar atento aos aspectos enumerados pelos especialistas, o consumidor pode identificar casos de greenwashing e tomar decisões de compra mais conscientes. “Quando alguém define seus hábitos de consumo pautado na sustentabilidade, precisa se certificar de que está apoiando empresas que, de fato, são comprometidas com a prática ESG. O consumidor não é bobo, e só as empresas comprometidas de fato com esses valores sobreviverão num futuro próximo”, completa Pereira.




Por assessoria de imprensa

Comments


bottom of page