top of page
  • Foto do escritorPará Comunica

Inscrição para o Campeonato Taça das Favelas Free Fire terminam nesta quarta

Com expectativa de 200 mil jogadores inscritos, maior disputa entre favelas do

mundo se prepara para nova etapa

As inscrições para a edição deste ano da Taça das Favelas Free Fire estão abertas. Os cadastros começaram no dia 29 de novembro e encerram no dia 13 de outubro. Essa é a segunda etapa de inscrições do torneio: a primeira, que encerrou no dia 28 de novembro, estava disponível para as lideranças cadastrarem as suas favelas e mais de 3500 favelas manifestaram interesse em participar. A partir disso, foi feita uma seleção de 1296 favelas

participantes e agora os jogadores moradores de qualquer uma dessas favelas poderão realizar sua inscrição. O acesso para o formulário de inscrições poderá ser encontrado através do site oficial do torneio. 


Os jogadores cadastrados passarão por uma triagem das CUFAs (Central Única das Favelas) locais, que escolherão os melhores jogadores para formar as seleções de cada favela. A inscrição, portanto, é individual e não garante automaticamente a participação dos jogadores. A expectativa para esse ano é de mais de 200 mil jogadores interessados e a premiação total será de mais de 100 mil reais, além de um bootcamp oferecido pela LOUD para a equipe vencedora e distribuição de chips com conexão à internet para todos os

jogadores que alcançarem as etapas estaduais.


O torneio então seguirá para uma fase de disputas estaduais, onde as favelas tentarão a classificação para a etapa nacional. As seleções vencedoras de cada estado - um total de 27 - se classificam para a etapa nacional e as vice-campeãs entrarão em uma fase de repescagem, até que sejam definidas as 8 que também avançam. A vice-campeã do estado do Paraná completa os 36 times da etapa, benefício dado pelo estado ter sido o campeão do ano passado.

 

“Chegou a hora dos jogadores! De hoje até o dia 13 de outubro, estaremos recebendo as inscrições para o maior campeonato de Free Fire entre favelas do mundo. Esperamos um grande número. Mais uma forma que a CUFA cria de mostrar que favela é potência!”, comemorou Marcus Vinícius Athayde, idealizador e diretor da Taça das Favelas Free Fire.

As principais etapas da Taça das Favelas Free Fire serão transmitidas nos canais oficiais do torneio e canais Garena, nas plataformas YouTube e BOOYAH!. A edição deste ano tem o Itaú Unibanco como patrocinador oficial, apadrinhamento da LOUD com a produção de conteúdos exclusivos, operação Garena e co-produção da LnK Gaming. A grande final, que será disputada pelas 12 melhores equipes, está programada para acontecer no dia

04 de dezembro.


Patrocinando a Taça das Favelas Free Fire, o Itaú segue com a campanha #IssoMudaOGame, movimento iniciado pelo banco para se aproximar do universo gamer e promover a transformação e impacto social por meio dos eSports. “Queremos cada vez mais estar com as novas gerações, daí a aproximação com a comunidade dos gamers. E o relacionamento que estamos construindo com esse público começa com duas perguntas fundamentais: o que podemos aprender e o que podemos fazer para ajudar a transformar a vida dessas pessoas para melhor?”, diz Robson Harada, superintendente de growth

marketing do Itaú. “É um processo que começa com escuta e o convite para a

cocriação”, acrescenta. 


Ouvindo essa comunidade o banco entendeu que o game é um meio de ascensão social e meta profissional e que a precariedade das conexões à internet é um dos principais fatores que dificultam a realização desse sonho. Desses jovens, 96% declaram que gostariam de ser jogadores profissionais e, para 29% deles, este é o maior sonho da vida (mais do que a compra da casa própria). 

_____________________________________________________________________


Sobre a CUFA

A CUFA (Central Única das Favelas) é uma organização brasileira reconhecida nacional e internacionalmente nos âmbitos político, social, esportivo e cultural que existe há 20 anos. Foi criada a partir da união entre jovens de várias favelas, principalmente negros, que buscavam espaços para expressarem suas atitudes, questionamentos ou simplesmente sua vontade de viver. 


A CUFA promove atividades nas áreas da educação, lazer, esportes, cultura e cidadania, como grafite, DJ, break, rap, audiovisual, basquete de rua, literatura, além de outros projetos sociais. Além disso, promove, produz, distribui e veicula a cultura hip hop através de publicações, discos, vídeos, programas de rádio, shows, concursos, festivais de música, cinema, oficinas de arte, exposições, debates, seminários e outros meios. São as principais formas de expressão da CUFA e servem como ferramentas de integração e inclusão social. 


Através de uma linguagem própria, pretende ampliar suas formas e possibilidades de expressão e alcance. Deste modo, ela vai difundindo a conscientização das camadas desprivilegiadas da população com oficinas de capacitação profissional, entre outras atividades, que elevam a autoestima da periferia quando levam conhecimento a ela, oferecendo-lhe novas perspectivas. 


Agindo como um polo de produção cultural e prática desportiva desde 1999, através de parcerias, apoios e patrocínios, a CUFA forma e informa os cidadãos de São Paulo, do Rio de Janeiro e de todos os outros estados brasileiros, além de outros 17 países. Dentre as atividades desenvolvidas pela CUFA, além das supracitadas, há cursos e oficinas de DJ, gastronomia, audiovisual, teatro, produção cultural e muitas outras. São diversas ações promovidas nos campos da educação, esporte, cultura e cidadania, com mão de obra própria. 


A equipe CUFA é composta, em grande parte, por jovens formados nas oficinas de capacitação e profissionalização das bases da instituição e oriundos das camadas menos favorecidas da sociedade; em sua maioria, moradores de comunidades carentes.



Por Ronald Souza (Assessoria de Imprensa).

bottom of page