top of page
  • Foto do escritorPará Comunica

Médico veterinário faz alerta referente ao descarte de máscaras

Especialista explica que material pode trazer riscos aos animais; confira dicas para se desfazer de forma segura do equipamento de proteção individual

Crédito da foto: Divulgação.

Desde o início da pandemia do coronavírus as máscaras se tornaram essenciais para a proteção da população, porém o seu descarte de maneira incorreta traz sérias consequências ao meio ambiente e para os animais. Dados do Instituto Akatu revelam que somente no Brasil foram descartadas mais de 12 bilhões de máscaras desde o início da pandemia e esse número deve subir ainda mais com o avanço da doença e a variante ômicron.

O médico veterinário e coordenador do curso de Medicina Veterinária da Faculdade Pitágoras, Odilon Soares, explica que o descarte irregular do item se tornou uma ameaça a milhares de animais, entre eles aves, peixes, cães e gatos. “Quando um material é descartado de forma incorreta na natureza, ele representa um corpo estranho e traz riscos para os animais, que podem ficar presos ou asfixiados com o objeto”, ressalta.

O especialista alerta que, além das máscaras, as luvas cirúrgicas de látex também podem afetar a fauna, principalmente os marinhos, já que eles acabam ingerindo esses itens que são descartados de maneira errônea. Outro problema é que eles podem acabar presos no elástico. “A eliminação incorreta dos materiais traz impactos de curto e longo prazos para o meio ambiente. O grande problema está associado à ingestão e o que isso pode causar a esses animais. No caso das máscaras que têm uma estrutura de metal, isso pode perfurar o tubo digestivo e levar à morte. Se ficarem presos com o elástico podem ter sua locomoção prejudicada afetando a alimentação e até a defesa dos bichos”, detalha.

Para auxiliar no correto descarte, o veterinário separou algumas dicas:

- Usar máscaras de tecido reutilizáveis, sempre que possível;

- Cortar as alças dos EPIs antes de reciclar para evitar que os animais fiquem emaranhados;

- Embalar os EPIs usados em um saco plástico, fechá-lo e jogá-lo em lixeiras próprias;

- Utilizar os materiais no prazo máximo orientado pelo fabricante;

- Cortar luvas descartáveis para evitar que os animais fiquem enroscados;

- Descartar os materiais no lixo de maneira correta.


Por Assessoria de Imprensa.

bottom of page