top of page
  • Foto do escritorRosiane Rodrigues

Prefeito de Belém acompanha soltura de 27 tracajás na ilha de Jutuba

Essa foi a segunda soltura realizada pela Funbosque

A vida simples desperta o sentimento de amor e zelo dos moradores para com a ilha de Jutuba, localizada a cerca de cinco quilômetros do distrito de Outeiro. Há quarenta e nove anos morando ali, às proximidades da beira da praia de água doce, na manhã desta quinta-feira, 08, a líder comunitária Rosa Rodrigues viveu momentos de alegria ao presenciar, pela segunda vez só este ano, um encontro da natureza, quando vinte e sete quelônios da espécie tracajá reproduzidos no Laguinho Borboleta, da Fundação Escola Bosque (Funbosque), foram soltos na ilha de Jutuba.


Para Rosa Rodrigues o sentimento é de felicidade. "É motivo de muita satisfação poder acompanhar esse momento único com o prefeito", disse a moradora, referindo-se à presença do prefeito Edmilson Rodrigues na ação realizada pela prefeitura de Belém por meio da Fundação Escola Bosque.


"E com muita honra que eu estou aqui para mostrar que a ciência tem poder. Nossa equipe da Escola Bosque salva vidas animais. Foram 27 tracajás que nós acabamos de deixar na praia e foi lindo vê-los correr em direção às águas e a certeza de viverão muito e se reproduzirão", declarou o prefeito de Belém.


A pequena Maissa Albuquerque, de 8 anos de idade, um pouco nervosa, segurou um tracajá e colocou em direção às águas. O momento foi acompanhado pelo gestor municipal. Para Maissa levar a espécie até água foi único. ”Foi muito legal.Vou contar pros meus amigos", afirmou.


“Nós hoje colocamos na natureza 27 tracajás. Já tivemos oportunidade de colocar também uma quantidade significativa de tartarugas marinhas amazônicas esse ano. Vamos fazer essa programação durante o ano todo. Vai ter continuidade esse processo. E também com sensibilização da comunidade para que eles possam perceber a importância desses animais e que possam ser os guardiões dos ovos que esses animais vão depositar na praia. Então isso é desejo de mudança e da recuperação da nossa fauna", destacou o presidente da Funbosque, Alickson Lopes.


Após a soltura dos tracajás o prefeito Edmilson Rodrigues conversou com os moradores da ilha, que explanaram as principais demandas locais como, por exemplo,a ausência de água potável e energia elétrica. A comunidade comunicou ao gestor a vontade de tornar a região da ilha de Jutuba um ponto turístico da capital paraense. A líder comunitária, Rosa Rodrigues, junto com o esposo Jorge Nascimento, prepara o espaço da casa para receber turistas. "Essa frente aqui é para receber os turistas, mostrar nossa região e nosso açaí", explicou.


Ao conversar com a líder comunitária, o prefeito anunciou que em novembro deste ano o Festival de Açaí da Ilha de Jutuba voltará a ocorrer e destacou a importância da ilha. “Pessoas que nasceram e vivem aqui, contribuem para que Belém seja essa metrópole incrustada na floresta e com o potencial para o turismo ecológico e outros potenciais para o desenvolvimento social", afirmou.


Segunda soltura – Essa foi a segunda soltura realizada pela Funbosque. A primeira aconteceu em janeiro com 37 tartarugas, 18 tracajás e 05 peremas. A Funbosque possui 2.734 alunos distribuídos em sete unidades, sendo a Escola Bosque/sede, a Escola Casa da Pesca, que também abriga a Escola de Gastronomia, ambas localizadas na ilha de Caratateua, distrito de Outeiro; e as Unidades Pedagógicas (UP), Faveira, Flexeira e Seringal, localizadas em Cotijuba; UP Jutuba, ilha de Jutuba e UP Jamaci, na ilha de Paquetá.


Também acompanharam a soltura dos tracajás o agente regional de Outeiro, Maikenn Souza, o secretário municipal de Meio Ambiente,Sérgio Brazão, a secretária municipal de Educação, Márcia Bittencourt e o titular da Coordenadoria Municipal de Turismo-Belemtur, André Cunha.


Por Joyce Assunção - COMUS.

Opmerkingen


bottom of page