top of page
  • Foto do escritorPará Comunica

Veja o que é fato ou fake sobre implantes dentários

Informações sobre implantes dentários despertam ainda dúvidas nos pacientes

Crédito da foto: assessoria de imprensa.

Cada vez mais reconhecidos pelo grande público como a melhor solução para repor um ou mais dentes perdidos, informações sobre implantes dentários despertam ainda dúvidas nos pacientes, justamente por se tratar de um procedimento cirúrgico, tornando-se um terreno fértil para equívocos, que não condizem com a verdade. "A cirurgia de implante é muito simples e segura nos dias de hoje porque é fruto de intensa pesquisa científica e de avanços tecnológicos recorrentes na área”, enfatiza a Dra. Bruna Ghiraldini, Doutora em Implantodontia e Coordenadora do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da S.I.N. Implant System. “E é importante lembrar que o implante é o método mais previsível de reabilitação oral que substitui perfeitamente o dente natural, em todas suas funções”, conclui.


Confira, a seguir, o que é fato e o que é fake sobre o assunto, segundo a Dra Bruna:


Implantes duram a vida inteira: Fato! Os implantes são produzidos para ter a mesma durabilidade dos dentes naturais. Mas, para isso ocorrer, os cuidados devem ser os mesmos que se tem com os dentes naturais. Portanto, a manutenção adequada é fundamental; e não há segredo, é escovar e usar o fio dental diariamente e fazer visitas periódicas ao dentista, uma vez ou duas vezes ao ano, ou na frequência estabelecida pelo dentista.


Quem tem problemas de saúde não pode fazer um implante: Fake! Pessoas com doenças crônicas, como diabetes e problemas cardíacos, podem buscar o tratamento, desde que as doenças estejam controladas. Ou seja: é fundamental que o paciente passe por consulta médica antes de recorrer ao tratamento, para ter certeza de que a saúde dele está ok.


Falta de dados na caixa do implante é um forte sinal de que o implante é pirata, representando risco para o paciente. Fato! Sabe-se que 1/3 dos implantes colocados anualmente nas bocas dos brasileiros é de origem ilegal, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Médica, Odontológica e Hospitalar (Abimo). Para manter em segurança sua saúde, sempre procure na embalagem o registro da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e informações sobre a fabricação do implante. A embalagem deve conter o nome da marca fabricante, responsável técnico, data de validade, número do lote e a técnica de esterilização utilizada. Desta forma, pode-se evitar infecções, alergias graves e até danos aos ossos, problemas que podem acontecer quando é instalado um implante “pirata”.


O implante pode ser rejeitado pelo organismo: Fake! A rejeição do implante pelo corpo não costuma acontecer porque o titânio, material usado na fabricação do implante, é biocompatível. Ou seja: ele consegue se integrar ao osso perfeitamente, como se fosse uma raiz natural. Contudo, é importante ressaltar que, eventualmente, a falta de qualidade óssea do paciente pode trazer complicações no pós-operatório, comprometendo o sucesso do procedimento.


A cirurgia de instalação do implante é complexa: Fake! Os implantes são instalados em um procedimento cada vez menos invasivo, com precisão milimétrica e quase sem cortes, o que acontece, principalmente, se forem colocados pela técnica da cirurgia guiada. Inclusive, os dados mostram que as chances de o método dar certo são muito altas: a taxa de sucesso chega a 98%! Mas, é importante lembrar que o paciente precisa seguir à risca as recomendações indicadas pelo dentista, principalmente na primeira semana após a cirurgia.


Um implante substitui todas as funções do dente natural: Fato! Ao contrário de outros métodos de reabilitação oral, como dentaduras – ou próteses móveis – os implantes fazem as vezes da raiz do dente natural. O procedimento evita que aconteça perda óssea na região e, ao mesmo tempo, devolve a confiança no ato da mastigação e no sorriso. Além disso, as próteses são esteticamente perfeitas e, com isso, conseguem restaurar o sorriso e a autoestima do paciente. No mais, o implante reabilita a função mastigatória, melhora a digestão e a absorção de nutrientes e, também, a saúde como um todo.


Fonte:

Dra. Bruna Ghiraldini: coordenadora do departamento de pesquisa e desenvolvimento (P&D) da S.I.N. Implant System. É mestre e especialista em Periodontia, além de doutoranda em Implantodontia pela Universidade Paulista.


Sobre a S.I.N. Implant System: referência mundial em produtos para implantes dentários, a S.I.N Implant System tem DNA brasileiro e está no mercado desde 2003. Hoje, seu parque fabril de última geração entrega mais de 5 milhões de produtos acabados todos os anos, com presença em 22 países. Com uma trajetória de conquistas apoiada nos princípios da simplicidade, inovação e nanotecnologia, a S.I.N. Implant System oferece as melhores linhas de implantes dentários do mundo, além de componentes protéticos. A empresa tem como visão oferecer o que há de melhor e mais seguro na área de implantodontia, utilizando, para isso, tecnologia de ponta e equipamentos de última geração, que passam por rigoroso controle de processos. A excelência em qualidade de seus produtos é garantida e comprovada por meio de certificações nacionais e internacionais. O sonho de restaurar sorrisos, iniciado com a Sra. Neide e o Dr. Ariel Lenharo continua vivo. Em tempo: Ariel Lenharo foi o primeiro doutor em implantodontia do Estado de São Paulo, tendo também realizado sua pós-graduação nos Estados Unidos, no Pankey Institute. A Sra. Neide e o Dr. Lenharo estiveram à frente da companhia até 2009, quando o controle acionário da S.I.N passou para o fundo de investimentos Southern Cross Group, equity firm líder e mais antigo dedicado ao mercado latino-americano, com mais de U$ 2,8 bilhões investidos em 38 empresas em todo o continente. Mais informações em www.sinimplantsystem.com.br.




Por assessoria de imprensa.

Comentários


bottom of page